GALERIA HORMÔNIOS – ANDRÉA FAVERO

Uma vilã do bem

Ao ser convidada para participar da edição Vendetta, muitas ideias foram discutidas e entre delas a que mais se encaixou nas minhas perspectivas de composição, principalmente pelo tom de humor, foi essa: “E lá vem ele chegando para o jantar, atrasado como sempre. Caminha tranquilamente, celular na mão, sorrisão na cara, e ela com os nervos à flor da pele, de saco cheio, louca para soltar logo todos os leões em cima dele”

Bem, já tínhamos os protagonistas. Um marido folgado, uma esposa de saco cheio e, claro, aquela vontade louca que toda mulher tem de eventualmente “matar o marido”. Quem nunca pensou nisso, que atire a primeira pedra, sem hipocrisia. De heroína e vilã, todas temos um pouco.

Desafio lançado, comecei a imaginar a cena, a criá-la na minha cabeça. Imaginei-o sentado à mesa, ela servindo o jantar: em uma mão o prato e na outra uma faca. Em todas as circunstâncias vemos um sorriso no rosto: a tranquilidade e o sarcasmo presente na loucura que acompanha os grandes vilões.

A primeira foto fiz com um casal de jovens, mas ainda não era o que eu queria, precisava ser mais profundo! Eu queria que a foto fosse impactante, então decidi fazer novamente, com outro casal: dessa vez, a vilã é uma modelo grávida prestes a dar à luz! Era exatamente isso o que eu estava procurando!

Ah, as mulheres grávidas, essas sim sentem vontade de matar os seus maridos: hormônios enlouquecidos, humor desequilibrado, todos os desconfortos de uma gestação! Pronto, encontrei a foto perfeita!

Modelos prontos, cenário montado e click!

 

Desafio cumprido! Para mim foi sim um desafio, pois não é muito minha área de atuação. Sou fotógrafa de natureza em primeiro lugar, e tudo mais vem depois, uma apaixonada por f o t o g r a f i a, e não um produto distorcido por exagero de edições.

Costumo dizer que ainda estou vivendo o “primeiro amor” pela fotografia, e pretendo que seja assim para sempre. Não existe nada mais espetacular do que você subir uma montanha, ou descer um vale e ver ali diante dos seus olhos uma pintura cheia de detalhes, ângulos, cores, vida, e você ter o poder de eternizar aquilo.

Fotografar é ter o poder de eternizar momentos. É isso que eu quero, eternizá-los irretocáveis.

*
Andréa Favero (e-mail) mora em São Paulo, é designer de interiores há 17 anos e há 4 anos aproveitou dessa criatividade para dedicar-se também à fotografia, arte que lhe possibilita eternizar momentos indescritíveis. É mãe orgulhosa de Daniel, Rafael e Leonardo, vó de Rebeca, Judá, Lívia (Vidinha) e Kalin. Há pouco mais de três anos vive uma vida luso-hispânica, transitando entre Brasil e Honduras.