A HORA DA LUTA

COLUNA PITACOS 

POR LETICIA SANTOS

*

Álvaro Cardoso Gomes é um escritor que posso dizer que cresci lendo. Comecei com O Diário de Lúcia Helena e A hora do Amor de Beto quando ainda passava meus vinte minutos de intervalo das aulas passeando entre as estantes da biblioteca da escola, e escolhendo livros pela capa, coisa que faço até hoje, podem julgar. Meu entendimento das obras cresceu junto comigo, já que comecei lendo a visão simplista e fatalista do mundo dos dois personagens, ainda crianças, e depois mais crescidos, saindo da casa dos pais para a selva mais perigosa para crianças do interior: São Paulo.

A obra que lhes recomendo vivamente hoje, é o terceiro livro que envolve esses dois personagens, se chama A Hora da Luta, e já pelo título pode-se deduzir que a paixão contida nessas páginas não é apenas a de dois jovens que se conhecem desde a infância, não é? A saída da casa dos pais para estudar não é só um momento de transição para a fase adulta que esse livro nos mostra, para Beto, pelo menos. Trata-se de um momento de valer-se por si mesmo e experimentar a liberdade que não tinha no interior, mesmo que precise lutar contra a falta de dinheiro e uma organização social totalmente diferente da cidade interiorana onde cresceu.

Por exemplo, Beto é um jovem que nunca tinha parado para pensar no panorama político do Brasil antes de se mudar para São Paulo e começar a ver através de seus amigos de estudo e convivência como a opressão realmente afetava a vida de pessoas que só queriam liberdade. Quando se é jovem e inexperiente, as paixões dos demais podem ser contagiosas, e vemos como Beto é seduzido pelos belos discursos de militância, como começa a enxergar as mazelas da diferença de poder aquisitivo entre sua família e as demais como resultado de um sistema e não só de destino. Coisas que sempre tinha visto como corriqueiras, passam a ter um novo fundo para ele, passam a ter conotação política e ideológica, é quando a paixão pela política e pela luta contra os burgueses nasce.

O ponto interessante? Lúcia Helena, que é sua amiga e seu amor de infância é a perfeita representação de uma burguesinha alienada, e isso causa um conflito interno no rapaz e na relação dele com seu par romântico de anos. A paixão move um homem, isso é um fato, Beto passa por todas as fases de um verdadeiro estudante cara pintada de sua época, ele conhece o cenário em que vivia, reconhece as mazelas que o sistema causa, luta contra elas, mas ao mesmo tempo, tem que lutar internamente contra a concepção de mundo que sempre teve, em que seu vizinho abastado não é um monstro repressor, mas o bom senhor que é educado com seus pais e cria o amor de sua vida.

Não é sempre que a paixão politica anda de mãos dadas com a paixão amorosa da sua vida. Olga Benário e Carlos Prestes não podem ser sempre a regra, ainda mais quando falamos de pessoas mais “normais”, por assim dizer, como as paixões políticas terminam por afetar nossas relações cotidianas? Com quantos amigos discutimos, quantos papos deixamos de ter, quantas amizades foram forjadas pelo simples fato de concordarmos ou não com o ideal de uma pessoa?

Ler A Hora da Luta não é só pensar divertidamente nas cenas em que Beto, o estudante magrelo e desajeitado, entra em brigas corporais e rir disso, mas é também refletir sobre como as paixões dos jovens adultos são voláteis, em como eles podem mudar de um dia para o outro de partido, incorporando ao seu mundo discursos políticos, teorias sociais e diretrizes econômicas na mesma velocidade em que se apaixonam na faculdade. A paixão dos jovens é ter uma causa pela qual lutar, entra geração, sai geração, o objeto dessa paixão muda, mas, o fato de que todo jovem precisa se rebelar contra o sistema e odiar com paixão os padrões pré-estabelecidos não muda.

Minha geração já não precisava sair nas ruas à noite com medo de serem presos ao falar de política, mas ler esse livro abriu meus olhos de um jeito que as palavras do meu professor de história não puderam, sabem por que? Beto poderia ser eu uma geração atrás, e ler sobre as paixões dele pode abrir um novo mundo para você. Boa leitura e boa semana, amigos.