ALCATEIAS – ANGEL CABEZA

Alcateias

Amanso um lobo
que toda noite
vem roer minhas
pálpebras.
Pelo grosso e áspero
que arranha a respiração.
Reclina-se com o
peso de alcateias
sobre minhas costelas
e saliva a fome da manhã.
Uiva silêncios.
Não aceita água qualquer,
muito menos a brandura
na têmpora.
Imóvel em meu peito,
observa a frágil janela aberta.
Não há correntes que o prendam,
nem por isso sonha
a liberdade do campo.

Amanso um lobo que vem
saciar seu cansaço
na rigidez da minha sede.


Caninos

Sextas são dias caninos;
de caninos que tilintam copos,
ferem talheres e assustam a
finitude em curso.
Somos cães que carregam
para debaixo das mesas
o temor das bombas,
o temor de nós mesmos,
e empapados de bares e asfalto
grunhimos — eretos — o exílio.
A louça é a metáfora do esquecimento.
Todavia estamos
esfomeados por brandura e
procuramos a doçura
com passos enviesados,
farejamos um lume qualquer no escoadouro,
uma poça limpa que não reflita nossos dentes.

Não desejamos ser presa,
mas também não premeditamos devorar ossos.
Conservamos a cabeça baixa e retesada
à espera da mão;

o limo nas pupilas;
a sede e
o arfar
de cães que veem na existência
o abismal perigo: flagelo de ser.

E então insistimos na velação da rotina
— rasgar sacos pretos
e revolver monturos
em busca de corações
roídos.

 

::
Angel Cabeza nasceu no Rio de Janeiro. Poeta e cronista, atua como produtor editorial e produtor gráfico. Publicou Sempre existe um último momento (crônicas, RJ, 2011) e Vidro de guardados (poemas, RJ, 2010). Integra as antologias Os melhores poemas de 2016 (ZL Editora, RJ, 2017, edição bilíngue), O Casulo (Patuá, SP, 2017), 29 de abril, o verso da violência (Patuá, SP, 2015), Escritores da Língua Portuguesa, Volume I (ZL Editora, RJ, 2012), Qasaêd lla falastin — Poemas para a Palestina (Patuá, SP, 2013) e Geração em 140 caracteres (Geração Editorial, SP, 2012). Possui textos publicados em diversas revistas literárias, entre elas Germina, Zunái, Odara (UFRJ), Gueto, Subversa, Eutomia, Cronópios, Cuarto Propio (Universidade de Porto Rico), Verso Destierro (México), Generación Espontánea (Madri), entre outras.