ÚLTIMA DAS ÚLTIMAS – ISABELA SANCHO

Alastra-se

o incêndio espontâneo da seca.
A capela rogada em chamas,
seu telhado rendido pro passado.

Partículas fugidias no dia encantado
do nosso fim,
a fuligem liberta
se leva embora nefasta e com pressa.

Na crepitação de nosso inverno, gota única,
a chuva tardia
se devolve ao meu canto de olho,
lágrima retida.

E agora sobramos só nós mesmos
ressecados, cegos na fumaça
que nos desnorteia,

nos derruba e afasta.

_______________________
Isabela Sancho nasceu em 1989, no interior de São Paulo. Estudou desenho e se formou em Arquitetura e Urbanismo pela UNICAMP. Integra o corpo de poetas do portal Fazia Poesia e segue o Curso Livre de Preparação do Escritor em poesia na Casa das Rosas. Participou da coletânea “A mulher e o livro” (Editora Carpe Librum e Mulherio das Letras, 2019) e é autora e ilustradora da plaquete “Quem fala em seu nome” (Editora Primata, 2019), além dos livros “As flores se recusam” (Editora Patuá, 2018 – menção honrosa no Prêmio Glória de Sant’Anna, Portugal) e “A depressão tem sete andares e um elevador (Editora Penalux, 2019).