POEMA DE FERNANDA FATURETO

|SENHORAS OBSCENAS
Por Fernanda Fatureto

VI

Macondo existia só no papel
Seus leitores visitavam a região
Acordados.
Amparados pela fantasia ao dobrar mais uma página,
A ilha destinada aos solitários.
Cada palavra esquecida soletrada renasce –
O poeta já disse que o verbo delira.
Reordena-se o mundo:
Um local seco e árido habitado por sonhadores.


_______________________
Fernanda Fatureto
é poeta e jornalista. Autora de Ensaios para a queda (Editora Penalux, 2017). Bacharel em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Seu Ensaios para a queda foi eleito pela revista São Paulo Review e pelo site Letras in.verso e re.verso um dos melhores livros de 2017. Participa do Caderno de Prosa e Poesia Subversa 2 (2019); das antologias Damas entre Verdes (2018); 29 de Abril: o verso da violência (2015); Senhoras Obscenas (2016) e Subversa 2 (2016). Possui poemas em revistas literárias brasileiras; nas revistas portuguesas Eufeme, InComunidade e Enfermaria 6; nas revistas espanholas Cuaderno Ático e Liberoamérica; na revista galega Palavra Comum e na revista mexicana El Periódico de las Señoras. Estreou com o livro de poemas Intimidade Inconfessável (Editora Patuá, 2014). Poema integra o livro Ensaios para a queda (Penalux, 2017)