Soneto de um suspiro morto – Katia Mota

|SENHORAS OBSCENAS
Por Katia Mota

É como se ela, soberana sobre mim
Desse e tirasse o doce querer
Ser, ver e estar numa morada de gozo.
Ela que sustenta e permite.

Esposa servil do tempo
Esse que suspende cada ato do devir
Esse que balança as cordas dos passos
Dá a ela a tarefa de guiar

Dá do seio seiva do dia
Rouba com a boca o hálito epifânico.
Sem respirar entrego mais um deixar.

E vai abanando a alegria de ter me logrado
Sem perceber que ela também é refém.
Dele que um dia nos levará juntas.

_______________________
Katia Mota, nascida em São Paulo, mas desde criança residente em Cerquilho-SP, formada em Letras Português/Espanhol e Artes, Pós Graduada em Literatura Contemporânea. Participação em alguns concursos literários como Mapa Cultural Paulista onde foi premiada na categoria conto em 2014, participação na Antologia Senhoras Obscenas.