BEATNIKS – LAURA NAVARRO

|SENHORAS OBSCENAS
Por Laura Navarro

(para B., com muito carinho)

 

Queimo os lábios em consonância

O amar das desalmas se fixa

Imperioso

Como uma torre de Rapunzel

Meus cabelos, porém, são puxados

As mãos nos seguram

Para

Não

Cairmos

– em tentação? Em pecado? –

De que importa, se nunca vimos

Deus, ou o Diabo, que tolice!

Eu me enfeito para ser desnudada

despida de minhas peles

E para que a maquiagem toda borre

esta é a visão, verdadeira identidade

E finalmente a encontro!

Esta que sai de mãos dadas

Em cabelos despenteados aos montes

Para que eu me lembre

Das margens

De onde estivemos quando a cidade se calava

 

_______________________
Laura Navarro. São Paulo. Aquariana com Ascendente em Leão e Mercúrio em Peixes, este último sua maior carta na manga. Gosta de se reinventar, principalmente por meio de devaneios, paixões e simbologias ocultas. Estes que lhe renderam a publicação de Claire de Lune (Patuá, 2016) e Natasha (Patuá, 2018), além da plaqueta Sinestesia (Primata, 2019). Inspirada por diversos movimentos artísticos e literários, se liga principalmente ao simbolismo, ao arcadismO, ao ultra-romantismo e ao expressionismo, tendo ligações com poesia erótica, elegíacas e as de cunho puramente experimental, que abordam uma infinidade de diálogos, em especial com teorias da psicologia, do teatro e da comunicação. Laura é, atualmente, estudante de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, e divulga regularmente seus textos no blog GOTH MATRYOSHKA