palavra : alucinógeno

esta coluna é escrita por fábio pessanha. aqui se falará de poesia. melhor. aqui se falará com poesia num diálogo aberto. escancarado. onde o poema será reescrito. onde o poema deixará de ser poema. onde o poema será ainda mais poema.

notas sobre uma escoliose hermética
o que se sabe sobre o que se precisa saber para ser um poeta
o trinado das palhas no alumínio
algumas inúteis observações sobre paixão e poesia
pequeno acervo de palavras apaixonadas por seus desvios
hilda hilst: como tudo que me falta e que me excede: vozes poéticas
fuligem e ferrugem
poetas arriscam mais
vozes de um poema profundamente político
aos cadáveres não sepultos
vozes cadeadas
uma conversa sem eira nem beira
manual descartável de como dizer poemas no escuro
espinho absurdo: breves delírios sobre um poema de eucanaã ferraz
desmonte composicional de imagens com a arquitetura poética de lucas rolim

 

_______________________
Fábio Pessanha (Propriedade do Irreversível / Facebook) é poeta, doutor em Teoria Literária e mestre em Poética, tudo pela UFRJ. Publicou ensaios em periódicos sobre sua pesquisa atual, a respeito do sentido poético das palavras, partindo das obras de Manoel de Barros e Paulo Leminski. É membro do NIEP – Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Poética, também na UFRJ. Coordenou e ministrou cursos no projeto de extensão “Poéticas – Projeto de Formação de Leitores Literários”, pela UNIRIO, realizado durante o ano de 2016 na Biblioteca Parque de Niterói. É autor do livro A hermenêutica do mar – Um estudo sobre a poética de Virgílio de Lemos e coorganizador do livro Poética e Diálogo: Caminhos de Pensamento, além de participar como ensaísta em outros livros e periódicos.